Pesquisa científica comprova efeitos benéficos das Barras de Access

Para aqueles que gostam de estudos científicos que comprovem a eficácia de terapias energéticas, como Barras de Access, existe uma pesquisa realizada pela Dra. Lisa Cooney, facilitadora certificada de Access Consciousness e doutora em psicologia, que desenvolveu uma pesquisa muito interessante mostrando quais as mudanças fisiológicas no corpo após a terapia com as Barras de Access.

Para desenvolver este trabalho, ela usou um termômetro capaz de verificar as disfunções no corpo por meio das alterações da energia corporal. Ela realizou testes com pacientes que apresentavam diversas queixas, tanto físicas – como artrite, alergias, problemas digestivos, cefaleias, dores no corpo, entre outras -, quanto psicológicas – como ansiedade, traumas, abuso sexual e estresse.

A análise das disfunções do corpo por meio da medição da temperatura chama-se termometria e, segundo ela, é um avanço na medicina, pois os resultados são clinicamente comprovados e podem identificar fatores que contribuem para a detecção de doenças anos antes do seu diagnóstico. Descoberta na Alemanha, a termometria é usada tanto pela medicina ortodoxa como integrativa.

Após a realização dos testes com o aparelho, a médica avaliou pacientes após uma sessão de barras de 75 minutos e, depois, após 10 sessões. O resultado é simplesmente impressionante, pois apresenta uma drástica redução de inflamações, bloqueios no organismo, toxidade e diminuição da ansiedade e estresse.

A termometria fornece uma representação gráfica do que está acontecendo no sistema nervoso autônomo do corpo, além de medir os principais órgãos, os sistemas glandular, límbico e musculoesquelético e, também, os dentes por meio da temperatura da pele.

O teste consegue detectar disfunções nos órgãos e sistemas citados acima e, também, a toxidade armazenada no corpo, a capacidade de promover um auto detox, desequilíbrios endócrinos, sobrecarga no sistema imunológico e qual o nível de circulação saudável está acontecendo no corpo.

Como na pesquisa realizada pelo Dr. Jeffrey Fannin, citada anteriormente neste blog, com o mapeamento do funcionamento do cérebro de algumas pessoas que passaram por sessões de Barras de Access, a pesquisa da Dra. Cooney traz imagens do antes e depois do tratamento com o Access.

Vejamos o primeiro caso do estudo em que uma paciente, 60 anos, reclamava de problemas digestivos, olhos embaçados, artrite, alergias e hemorroidas. Como Lisa Cooney explica no vídeo, a cor azul na imagem representa regulação ótima ou normal. Regulação significa a temperatura do corpo – quente ou frio – nas regiões onde o teste foi aplicado. Vejam o gráfico e reparem na diferença que ocorreu em apenas 75 minutos.

 

Após a sessão, a paciente relatou diminuição da ansiedade e da dor e aumento da clareza mental e relaxamento. Como podemos ver na ilustração, o seio direito clareou assim como a área do timo e pulmões.

Áreas que apresentavam toxidade e regulação impedida estão completamente livres. De acordo com a termometria, a cor azul escuro mostra a regulação impedida, ou seja, algo está acontecendo no corpo.

A cor preta mostra regulação bloqueada e, segundo a médica, isso não é necessariamente ruim, mas é algo para se preocupar. E, ela acrescenta que “qualquer coisa pode ser desbloqueada” com a terapia de Barras de Access.

O vermelho indica toxidade ativa, que está causando alguns problemas que podemos alterar; o amarelo indica inflamação estimulada. “A inflamação é sua amiga, desde que não seja crônica”, explica Lisa Cooney.

Observem na ilustração abaixo, o nível superior dos dentes antes e depois da aplicação das barras. A imagem mostra que o sistema imunológico, bem como todo o corpo, está menos sobrecarregado.

Os dentes superiores refletem os seios da face;
Os inferiores refletem o sistema imunológico.

Outra paciente que participou do estudo também tinha 60 anos. Antes de receber a sessão de barras, suas queixas eram: lesão no ombro; ansiedade, raiva e impaciência; menopausa há 5 anos; abuso sexual aos 12 anos; padrões moderados de autodepreciarão (crítica de si mesma e autojulgamento)

Segundo a Dra. Lisa Cooney, a imagem acima é muito comum em pessoas que sofreram abuso sexual e trauma já que elas costumam apresentar um pouco mais de regulação impedida e regulação bloqueada; e, muito mais atividade na garganta. Agora, observe a diferença após uma única sessão de barras.
Esses são um dos efeitos das barras:
– Estimula o sistema linfático do corpo para iniciar o processo de desintoxicação ativa para liberar a toxidade;
– Também ajuda a derrubar as barreiras, por assim dizer, de qualquer trauma não resolvido sem ter que revivê-lo ou falar sobre isso.
Quais mudanças a paciente relatou?
Diminuição na ansiedade e dor;
Maior clareza mental e relaxamento.
Abaixo outra parte do teste que não foi mostrado no Estudo de Caso anterior:

Antes das barras havia um “estresse autoimune global severo” e após as barras percebemos que já está em nível moderado. Antes de receber a terapia, havia os seguintes índices moderados: toxidades, assinatura de metal pesado; falta de capacidade de desintoxicação; e, esforço adrenal.

A Dra. Lisa Cooney relata que costuma ver esse padrão muitas vezes com seus clientes que foram abusados sexualmente e que ainda existe algum trauma ainda não resolvido em seus corpos.

Após a sessão com as barras observe as mudanças, para melhor que ocorreram no corpo da paciente.


Bloco severo no progresso do esterno para estimular a inflamação que começa a desintoxicação e informa o corpo para regular normalmente;

Regulação impedida progrediu para melhor regulação em ambos os seios.

Agora, veja as mudanças que ocorreram nos dentes da senhora:

As toxinas são mais proeminentes nos seios da face e no cérebro quando o corpo libera o trauma. O padrão energético está mudando nos dentes inferiores, o que reflete o sistema imunológico.

O terceiro caso estudado também foi de uma senhora, 51 anos. Ela reclamava dos seguintes sintomas: dores de cabeça; dor corporal generalizada; problemas de digestão; lentidão; e, confusão.

Veja as imagens do teste de termometria com o antes e após 10 sessões de terapia com as Barras de Access.


A imagem acima mostra o quanto o corpo pode ser ativado e estimulado após 10 sessões de Barras de Access.

Profissionais da área de medicina natural também ficaram impressionados com os resultados dos testes. Segundo a naturopata Jackie Bell, os resultados com as Barras de Access correspondem de 4 a 6 meses de terapia com outras técnicas, como a naturopatia.

A próxima imagem representa os seios da paciente:


Antes de passar pela terapia, o gráfico apresentava uma situação bem severa. Na parte superior direita (antes das barras), observe as cinco barras vermelhas. E, na imagem inferior (após as barras), veja como o quadro já é bem melhor.

E, por fim, a próxima imagem mostra a mudança que ocorreu nos dentes desta senhora. Vejam a enorme diferença – para muito melhor!


– Área livre de toxidade;
– Dentes estão se relacionando com diferentes órgãos e seios;
– Dentes superiores refletem os seios da face;
– Dentes inferiores refletem o sistema imunológico.

Ao término do estudo, o que podemos concluir é que a terapia com as Barras de Access promove:
– Desintoxicação rápida do corpo para uma regulação saudável;
– Melhora a função celular dos órgãos;
– Aumenta a capacidade do corpo de estimular a mudança fisiológica;
– Promove uma diminuição dos encargos do sistema imunológico;
– Melhora do sistema imunológico;
– Aumento da circulação no corpo inteiro;
– Dissipação de padrões psicossomáticos provocados por traumas;
– Redução nos bloqueios, toxidade e condições crônicas.

Confira o vídeo da Dra. Lisa Cooney com informações sobre o estudo realizado com a termometria e as Barras de Access:

Tradução livre: Juliana Parlato.

55 comentários sobre “Pesquisa científica comprova efeitos benéficos das Barras de Access

  1. Anónimo

    Maravilhoso Juliana. Muito obrigada pela iniciativa da tradução . Você explicou de um jeito fácil e estimulante. Texto impecável.

  2. Juliana Autor do artigo

    Olá, boa noite.

    Obrigada pela visita e comentário.

    Acredito que, quanto mais conseguirmos deixar as técnicas do Access compreensíveis, mais pessoas se interessarão pela prática – tanto para receber, quanto para aprender – e, consequentemente, mais pessoas se beneficiarão de uma prática tão simples e eficaz.

    Um abraço.

  3. Leda

    Maravilhoso. Vamos divulgar. Vc tem razão Juliana. Parabéns por essa iniciativa. O q de bom soubermos devemos compartilhar . Sou Parapsicologia e vejo ótimos resultados nas pessoas q corro barras. Grande abraço.

    1. Juliana Autor do artigo

      Oi, Leda.

      Que energia, espaço e consciência podemos ser para que cada vez mais e mais pessoas possam tomar conhecimento das técnicas e ser a contribuição que o outro necessita? E tudo que impeça que isso aconteça vamos destruir e descriar?

      Beijos e muito obrigada pela visita.

  4. Paulo Castilho

    Parabéns pela bela contribuiação, Juliana! Cheguei a ver o estudo original da Dra Comeu e tinha ficado entusiasmado com os resultados alcançados com as Barras!

    A tradução do estudo ficou numa linguagem bem acessível e certamente vai ajudar a impulsionar a Barras entre os brasileiros clientes (pacientes) conhecerem as comprovações da ciência e para muitos praticantes aplicarem em cada vez mais pessoas, ampliando e expandido está elfantastica ferramenta terapêutica!

    Sdds de vc, gratidão por ter vc no curso!
    É uma aluna que da orgulho!

    1. Juliana Autor do artigo

      Olá, Paulo.

      Logo que tomei conhecimento do estudo da Dra. Cooney fiquei pensando: “Pôxa, isso tem que estar em português”. Então, fico feliz que a tradução possa contribuir para a expansão desta e de outras técnicas do Access no Brasil. Quanto mais pudermos ser a contribuição para propagação desta ferramenta, melhor!!!
      Muita grata por pode ter tido um professor tão atencioso como você!
      Saudades também!

    1. Juliana Autor do artigo

      Olá, Cheila. Boa tarde.

      Meu texto é uma tradução de parte do estudo da Dra. Lisa Cooney. Não sei se ela ainda está realizando os testes. Mas, se quiser obter mais detalhes, teria que entrar em contato com ela.

      Obrigada pela visita.

  5. Silvana suares

    Ola Juliana tudo bem? Adorei a materia. Sou facilitadora de barras em limeira Sp . Estou na fase da divulgacao. As barras mudaram minha vida estou muito grata a elas e a todos que me apoiam! Estou a disposicao caso necessitem das barras na regiao de limeira sp. Obrigada abraco silvana

    1. Juliana Autor do artigo

      Olá, Silvana. Boa noite.

      As Barras de Access têm mesmo esse poder de mudar nossas vidas. Muito sucesso na divulgação do seu primeiro curso.

      Obrigada pela visita. Volte mais vezes.

  6. Marcia

    Gratidão Juliana pela iniciativa. Sou facilitadora e terapeuta de Barras de Access, atuo em Porto Alegre e Novo Hamburgo/RS. Tive o privilégio de conhecer e fazer o curso com a Dra Lisa Cooney. As pesquisas nos dão o respaldo de comprovação da transformação/benefício das Barras de Access na vida das pessoas e isso é fantástico. 🙂

        1. Juliana Autor do artigo

          Olá, Quenia.

          Esta terapia consiste em tocar em vários pontos da cabeça (são 32 pontos, ao todo).
          Ao ter estes pontos tocados, a pessoa sente uma enorme melhora em sintomas como ansiedade, depressão, agitação mental, etc…
          Veja este link com maiores explicações sobre a técnica: julianaparlato.com/desbloqueio-de-crencas-limitantes-com-barras-de-access/

  7. Maria do Rosário Gomes

    Olá, fiquei sabendo das barras e fiz a terapia de 30 minutos em Santo André no espaço Crisostelar recentemente e gostei, eu moro em Sbcampo SP,

    Bjs

    Gratidão

  8. Sandra Peixoto Smith

    Bom dia!
    Sou facilitadora de Barras em Pirenópolis ( Goiás) e a tradução impecável desse estudo vai ajudar muito na divulgação do processo e no aumento da credibilidade por parte de quem ainda não conhece a técnica.
    Muito obrigada por compartilhar!!
    Como pode melhorar?

  9. Clarissa

    Juliana gratidão por possibilitar essa tradução. Assim fica ainda melhor de divulgar essa terapia fantástica. Muita luz!

  10. Cibele Castro

    Oi Juliana,

    Ingressei na egrégora do Access esse ano e só agora tive acesso a essa mega contribuição sua. Como pode melhorar? O que mais é possível? As BARRAS de Access mudaram minha vida… e o que começou de maneira depretenciosa tomou conta do meu ser e cá estou eu me tornando facilitadora de Barras de Access.
    Sigamos💆‍♀️💆‍♀️

  11. ANA MÁRCIA SANTANA DE OLIVEIRA

    Parabéns, Juliana!

    Ótima iniciativa!
    Texto pertinente, relevante, emergencial e melhor, de cunho científico.
    Desejo receber todas as novidades.
    Abraços!
    Ana Márcia S. Oliveira

  12. ANA MÁRCIA SANTANA DE OLIVEIRA ANA MÁRCIA SANTANA DE OLIVEIRA

    Oi Juliana!
    Com certeza, retornarei várias vezes!
    Já fiz as 3 Classes de Access Bars. Ficarei atenta aos outroa Cursos com você! Sucesso! Beijos!

    1. Juliana Autor do artigo

      Olá, Nyarsha. Boa noite.

      Esta tradução foi feita a partir do vídeo que publiquei no post. Não tive acesso ao material escrito. A autora do estudo, Dra. Lisa Cooney, tem página no facebook. Você pode entrar em contato.

      Gratidão pela visita.

    1. Juliana Autor do artigo

      Olá, Karina.

      Esta tradução foi feita a partir do vídeo que publiquei no post.
      Não tive acesso ao material escrito. A autora do estudo, Dra. Lisa Cooney, tem página no facebook.
      Você pode entrar em contato com ela por lá.

      Gratidão pela visita.

  13. José Cantillana

    Olá, excelente texto Juliana. Mas gostaria de saber em que base de dados eas pesquisa científica se encontra. Estive buscando na internet e não encontrei nada, sequer uma pesquisa da Lisa Cooney.
    Por favor, gostaria muito de ter o acesso o trigo científico que foi publicado.

    1. Juliana Autor do artigo

      Olá, Nyarsha. Boa noite.

      Esta tradução foi feita a partir do vídeo que publiquei no post.
      Não tive acesso ao material escrito.
      A autora do estudo, Dra. Lisa Cooney, tem página no facebook. Você pode entrar em contato.

      Gratidão pela visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.